Pau dos Ferros / RN: História

História


“A árvore do repouso e das marcas”

Os primeiros Sinais de povoamento na região próxima às margens do Rio Apodi ocorreram no final do século XVII, com a chegada de grupos compostos por bandeirantes vindos do Rio São Francisco, após atravessarem os Estados da Paraíba e Pernambuco.

A instalação de fazendas e o conseqüente povoamento ocorreram, inicialmente, na faixa de terra situada entre os rios Piranhas e Apodi, nos idos de 1717, por ocasião da concessão da primeira Sesmaria localizada na região conhecida como Podi dos Encantos.

(foto: Coronel Antônio da Rocha Pita) No ano 1733, quando da morte do coronel Domingos Gonçalves da Rocha Pita, dono de muitas terras nos Estados da Bahia e do Ceará, seus filhos e herdeiros Francisco da Rocha Pita, Luiz da Rocha Pita Deusdará, Simão Pessoa da Fonseca e Maria Joana, receberam doação da Sesmaria de Pau dos Ferros, situada nas vizinhanças das terras de Podi dos Encantos.

Entretanto, o pioneiro da história de Pau dos Ferros foi Francisco Marçal que, pelo seu esforço e por sua capacidade de mobilização, conseguiu, em 1738, erguer capela no pequeno núcleo populacional existente. A capela, mais tarde, no ano de 1756, se tornou Matriz de uma grande Freguesia.

O nome de Pau dos Ferros é originário de uma árvore, mais precisamente de marcas fixadas com ferro em brasa numa oiticica frondosa que, pela sua grande dimensão, oferecia farta sombra e conseqüentemente excelente local para o repouso de vaqueiros que chegavam cansados do difícil trabalho de campear reses tresmalhadas.

Exatamente por ser um costumeiro lugar de parada, os vaqueiros decidiram colocar no tronco da árvore, com ferro em brasa, as marcas de seus gados ou dos seus rebanhos de seus patrões, com a finalidade de que todos passassem a conhecer os carimbos uns dos outros, para poderem identificar as reses perdidas nos pastos e fazê-las retornar ao seu dono.

A majestosa árvore ficou cheia de marcas de gado, cada vez procurada pelos vaqueiros, cada vez mais famosa, ficando conhecida com “Pau dos Ferros”, e tornou-se o início de uma era, início de uma comunidade.

O povoado se desenvolveu com rapidez devido a sua estratégica localização no centro da região oestana e ao progresso alcançado na agricultura e na pecuária.

Alcançar a autonomia política era uma questão de tempo e no ano de 1841 tinha início a luta para fazer de Pau dos Ferros um município. Em 23 de agosto de 1856 a Assembléia Provincial aprovou Projeto de Lei com essa finalidade, que recebeu o nº 344e foi sancionada no dia 4 de setembro do mesmo ano, pelo então Presidente da Província, Antônio Bernardo de Passos, transformando Pau dos Ferros em município. Seu território foi desmembrado de Portalegre.

(foto:Praça Monsenhor Caminha - Praça da Matriz) Em dezembro de 1956, no centro da cidade de Pau dos Ferros)Quis a história que Pau dos Ferros chegasse à condição de município exatamente no ano em que se comemorava o centenário da instalação da paróquia. O município veio a receber os foros de cidade somente em 2 de dezembro de 1924, pela Lei número 593 Localizado no Alto Oeste Potiguar, Pau dos Ferros está 420 quilômetros de distância da capital.

O município limita-se com Francisco Dantas, Rafael Fernandes, São Francisco do Oeste, Marcelino Vieira, Martins, Encanto, Antônio Martins e Pereiro no Estado do Ceará.

Pau dos Ferros, por ser cidade pólo de uma grande região, tornou-se o centro comercial de todo o Alto Oeste Potiguar. Além da força do comércio em sua economia, o município conta ainda com atividade pecuária produção agrícola. Seu artesanato é representado pela fabricação de panelas e estatuetas de barro; confecções de renda e labirintos, crochê, ponto de cruz e pintura em tecido. A cidade conta também com os açudes: 25 de Março e o Pau dos Ferros, que, juntos somam uma capacidade reservatória para mais de 63 milhões de metros cúbicos de d’água.

(foto: prefeitura) Em termos culturais se destacam o Museu do Centro Cultural Joaquim Correis; o Casario Antigo (Arte Noveau e Décor); e a unidade da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (campus avançado). O Folclore conta com manifestações de Maneiro-pau e dança do São Gonçalo.

Os eventos que se destacam no município são: a Feira Internacional de Educação, Cultura e Comércio do Alto Oeste – Finecap; e a Semana do Meio Ambiente, realizada no mês de janeiro.

Entre os dias 30 de novembro e 8 de dezembro, Pau dos Ferros comemora, com muita grandiosidade, a festa de sua padroeira, Nossa Senhora da Conceição, com missas, novenas, procissão e a presença d fiéis que chegam de todas as partes da região Oeste.

Foto: A/D - Arquivo OpenBrasil.org
Pau dos Ferros / RN - OpenBrasil.org
Página anterior Próxima página